A fé original




A fé original

Os primeiros crentes em Yeshua era uma seita Israelita conhecida como os "Nazarenos", ou em Hebraico "Netzarim" (Atos 11:19, 24:15).


O "Pai da Igreja" Jerônimo (século-4) descreve os nazarenos como sendo. "aqueles que aceitam o Messias de tal forma que ainda observam a lei." (Jerônimo; Sobre Isa. 8:14).


O Historiador e sacerdote Cristão do século quatro, Epifanio, dá uma descrição mais detalhada:
"Mas estes sectários ... Não se chamavam cristãos mas de "Nazarenos "...contudo, são simplesmente judeus completos. Eles utilizam não só o Novo Testamento, mas também o Antigo Testamento, como os filhos de Israel ... Eles têm idéias diferentes, mas confessam tudo como fazem os judeus, exatamente como proclama a velha Lei/torá, na forma e aspecto israelense, exeto sua convicção quanto ao Messias, porque reconhecem a ressurreição dos mortos, como a criação divina de todas as coisas e, declaram que Deus é um e que seu filho é o Messias Jesus.
Eles são formados fielmente no hebraico, porque dentre eles incluem a torá completa, os profetas, e os escritos, que são lidos em hebraico, como é certamente entre os filhos de Israel.
Eles são diferentes dos judeus e cristãos apenas no seguinte; Eles estão em desacordo com os judeus, porque eles abraçam a fé do Messias, mas ainda circuncisão - se, guardam o sábado e estão em desacordo com o resto cristão ... não são mais do que Israelitas ... Eles possuem as boas novas de acordo com Mateus em hebraico completo.
Uma vez que é claro, ainda se conserva no alfabeto hebraico como foi originalmente escrito. "(Epifanio; Panarion 29)


O historiador moderno Justo L. Gonzalez disse em seu livro - História do Cristianismo. “Os primeiros fiéis não acreditavam que pertenciam a uma nova religião. Eles eram judeus e as principais diferenças que os separam do resto do judaísmo, é que acreditavam que o Messias tinha chegado, enquanto que o restante dos judeus continuam mantendo o seu advento.
Sua mensagem para os judeus não foi aceita, por isso eles tiveram que parar de serem judeus, mas pelo contrário, agora que a idade messiânica tinha sido aberta deveriam ser ainda mais. Do mesmo modo quando pregaram ao primeiro Gentio, não era um convite para pertencerem à uma nova e recém-criada religião, mas foi o convite para compartilhar as promessas feitas a Abraão e sua descendência. Os gentios são convidados a se tornarem filhos de Abraão, de acordo com a fé, porque eles não podiam ser de acordo com a polpa. "História do Cristianismo tomo 1 chap. 5 º, n º 2.
Falando sobre o mesmo assunto Justo L. Gonzalez disse: "Isso é verdade não só de Pedro e os doze, mas também até mesmo Paulo." De acordo com que Paulo exprime, para os judeus de Roma no final de sua carreira, "com a esperança de Israel estou sujeito a estar na cadeia "(Atos 28:20)". Ibid Cap.3 pag 37 primeiros dois capítulos do tema "Vida religiosa".
No livro do Dr. George lams, “As Origens do Novo Testamento” Ele declara: "Os autores do Novo Testamento, para atestar o fato de que estas sagradas literaturas foram escritas para os judeus e, os membros das Dez tribos do norte de Israel, que foram dispersos na Mesopotâmia (Assyria) no império persa, Ásia Menor e de outras partes do Império Romano. Que os evangelhos de Jesus Cristo foi pela primeira vez pregado as pessoas e, é um fato conhecido com base em elementos de prova de que é fortemente apoiado pelos Evangelhos, um livro de fatos e epistolas. Em outras palavras, o Novo Testamento é um lembrete para o povo do Antigo Testamento, os hebreus, que Jesus Cristo é o Messias prometido e que as [profecias] das Escrituras são satisfatórias. Não há nada no Novo Testamento que é alheia ao pensamento hebraico e cultura semítica.


O Dr. LAMS também afirma em seu livro que as conversões eram limitadas aos judeus, sírios e assírios, se convertendo a partir de outras raças foram minorias.


O Rabino Rami M. Shapiro disse em seu livro "Open Secrets:". "Trata-se de um traidor do judaísmo este Yeshu? Penso que não. Qual foi a sua mensagem quando articulou suas mitzvot (mandamentos)? Dentro do contexto Judaico Rabinico ele disse: Quem ama a Elohim ama a seu Próximo. Existia nele não só apenas a visão Judaica sobre Israel, mas também a visão Messianica sobre todo Israel, reino do Norte e reino do Sul. Yeshu falava com o seu próprio povo, sobre Israel e sua cultura. Ele queria ensinar no Judaísmo Yeshidah privacidade e, fazê-lo rompeu com muitos dos tabus que os rabinos e sacerdotes tinham criado e, estas suas ações não foram diferentes das ações de outros profetas, eles também fizeram exigências radicais e dramatizantes em seus ensinamentos com as ações que incomodavam a seus contemporâneos. Portanto, não creio que Yeshu fosse um problema! O Cristianismo é claro não era a religião de Yeshu. O Judaísmo foi a religião de Yeshu… " * Yeshidah significa literalmente, a unificação da alma a um nível de consciência constante de reconhecermos a onipresença de Elohim(D-us), aqueles que chegam a atingir este nível de compreender esta unidade com Elohim, (por exemplo: "Eu e o Pai somos um") é porque alcançou o nivel Yeshidah.


O Jacham Caraíta Nehemia Gordon disse em seu livro "O Yeshu Hebreu compa como se segue: "… A minha visão de quem foi Yeshu, comparado ao Jesus grego que mudou a história. Eu costumava pensar que ele era um usurpador que veio abolir a Torá. No entanto, um estudo mais aprofundado do hebraico dos escritos de Matitiyah(Mateus), onde a maioria acha que Jesus apareceu para a inversão da Torah na versão grega, em hebraico a versão de Yeshu[Mateus] é defender a Torá. " Hoje falo de Yeshu assim: "… (Yeshu) foi de oposição aos direitos dos rabinos e as leis artificiais[Legalismo], porque ele fez o povo de Israel e Gentio[10Tribos do norte] retornarem à Torá." A Fé Nazareno detém uma crença em Yeshu como o Messias de Israel, eles não abandonaram sua identidade Hebréia, cultura e patrimônio Israelita para anunciarem uma nova religião estrangeira. Para alguns israelenses o conceito de que acreditarem em Yeshu e, praticarem a fé de Israel é uma contradição. Estes termos comuns, de que de um lado você tem os filhos de Israel e a fé judaica e, do outro os gentios e cristãos, não é interessante ao descendente Israelita inteligente e, atualizado em historia de Israel pensar assim. Vejam bem; no primeiro século havia literalmente centenas de centenas de seguidores Israelitas de Yeshua (Ma'assei Sh'lichim /Atos 2:41, 47; 4:4, 6:7, 9:31, 21:20). Eles foram zelosos para com toda a Torá (Ma'assei Sh'lichim /Atos 15:19-21; 21:17-27), e reuniam-se nas sinagogas (Ya`akov/Tiago; 2:2). A grande questão era saber se então Yeshu também havia chegado aos iletrados (Ma'assei Sh'lichim /Atos 10; Atos 15). O maior paradoxo da história aconteceu finalmente, porque hoje as pessoas questionam o modo como se pode continuar a permanecer em Yeshua sendo Israelense? Hoje estamos procurando pôr Yeshua, nos voltando ao contexto da fé de Israel do primeiro século.


A Fé Nazarena é um renascimento espiritual, um renascimento, um retorno à pura fé dos Talmidim/Nazarenos do primeiro século. Um regresso ao Tanach/A.T. a raiz da oliveira (Rom.11). Como nos diz o profeta Jeremias: Portanto Yahwéh disse: "Detende vossa marcha, examinai e buscai os caminhos do passado onde estava presente somente o bem, trilhai-os e encontrareis então repouso para vossa alma.” (Yermyah/Jer. 6:16). Os nazarenos abstem-se de serem chamados de cristãos. O primeiro uso do termo cristão foi em Antioquia, entre os primeiros gentios seguidores de Yeshua(Atos 11:26)isto para descrever os gentios seguidores de Yeshua.
Os Nazarenos são Yahwistas e censuram aquele que faz mal uso do Santo Nome (Jer. 23:27). Em alguns casos, alguns nazarenos foram martirizados publicamente por recitar um derásh[versículo] Salmos 110:1-2, em que o nome Santo é utilizado para vincular a Yeshua, como sendo a mão direita de Yahwéh. Os Nazarenos reconhecem o sétimo dia (a partir do por do sol de sexta, o entardecer, iniciando-se o Shabat), como o sábado; (Bereshit/Gen. 2:1-3, Shemot/Exo. 20:8-11; 32:12-17) continuamos a observar o ritual da circuncisão como Israelitas. Nós também observamos, em Santo Dias Lev. 23, que "é realizado como um estatuto perpétuo para as suas gerações em todas as suas habitações ..."(Lev. 23,14, 21, 31, 41).


Yochanan da Fonseca.

Comentários